Conflitos preocupam a ONU durante pandemia

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), o português António Guterres, divulgou balanço dos resultados do pedido de cessar-fogo global feito há dez dias, em meio a pandemia da Covid-19. Segundo ele, um número substancial de partes em conflito expressou aceitação, porém existe uma enorme distância entre declarações e ações, entre traduzir palavras para paz no terreno e na vida das pessoas.

O chefe da ONU afirma que o apelo de paz está ressoando em todo o mundo e foi endossado por cerca de 70 países - além de líderes religiosos, incluindo o papa Francisco, organizações não-governamentais e redes ativistas da sociedade civil.

Conforme relatório das Nações Unidas, diplomatas enviados e representantes locais da ONU estão tendo êxito para negociar pausa nos combates internos e externos, enquanto há o surto do novo coronavírus. Esse é o caso de Camarões, Colômbia, Filipinas, Mianmar, República Centro-Africana, Sudão, Sudão do Sul e Ucrânia.

O secretário-geral das Nações Unidas, no entanto, se preocupa com situação no Afeganistão, Iêmen, Líbia e na Síria. De acordo com a Agência de Notícias da ONU, no Afeganistão estão abertas negociações diretas com o Talibã. No Iêmen, o conflito piorou. Na Líbia, os conflitos aumentaram drasticamente em todas as linhas de frente. E Na Síria, onde a covid-19 já provocou mortes, continua em vigor a trégua em Idlib.

Fonte: Agência Brasil

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *